Linguagem corporal. Quais os 10 gestos que devem ser evitados numa entrevista?

Existem muitos profissionais que são experts em ler os sinais dos corpos das pessoas com quem interagem, como os jogadores de poker, políciais, ou psicólogos. Nestas profissões, a leitura da postura dos outros ajuda a ganhar torneios, resolver crimes ou ajudar pessoas.

Outra profissões onde se aprende a ler de forma bastante eficaz a linguagem corporal é em recursos humanos, particularmente, os profissionais que realizam entrevistas de trabalho.

A revista Forbes consultou vários especialistas em recrutamento e em coaching e selecionou as melhores dicas sobre linguagem corporal a levar em conta quando se procura trabalho.

Quais os 10 gestos a serem evitados numa entrevista de emprego?

Postura corporal
1 – Cuidado ao reclinar as costas para trás. Deve sempre manter uma postura neutra durante a entrevista. “Reclinar as costas para trás sugere aborrecimento ou falta de interesse”, explica Karen Friedman, autora de Shutup and Say Something: business Communication Strategies to Overcome Challenges and Influence Listeners. “As pessoas tipicamente inclinam-se para a frente durante uma conversa quando gostam de alguém, portanto recliná-las para trás pode assinalar exatamente o oposto”.

2 – Não reclinar muito o corpo para a frente. Os peritos consideram que inclinar-se muito para a frente também pode ser problemático, podendo o entrevistador considerar que o candidato está a ser muito solícito ou ameaçador. “Não se aproxime muito do entrevistador ao inclinar-se sobre ele ou sobre a sua secretária”, aconselha Amanda Agustine, uma perita em empregos no site TheLadders.com.

3 – Postura neutra é o ideal. “A postura deve resumir-se ao clássico “sentar-se direito””, afirma Eventoff, como se uma corda estivesse atada da cabeça ao teto. “Parece muito simples, mas é espantoso saber quantas pessoas ignoram este aviso importante”, considera Cynthia Burnham, uma “coach” de carisma. O seu trabalho passa por ajudar executivos a melhorar a sua presença em público. Ficar em pé ou sentado de forma direita envia uma mensagem de auto-confiança, mas também faz as pessoas parecerem mais altas, o que é considerado como um sinal de astúcia, confiança e credibilidade.

Gestos
4 – Gestos bruscos devem ser evitados. “Evite gestos bruscos”, afirma Burnham. “Gestos de braço, como no karatê, podem afetar psicologicamente o espaço entre o candidato e o entrevistador”. Apesar de poucas pessoas fazerem este tipo de gesto, existem variações deste movimento. Apontar é muitas vezes visto como um gesto agressivo e em algumas culturas é considerado como extremamente rude. O ideal é evitar gestos com as mãos que sejam muito rápidos, repetidos ou agressivos, diz Eventoff.

5 – Uma postura fechada é um sinal negativo. Colocar as mãos nos bolsos, atrás das costas ou por os braços cruzados sobre o peito é um sinal de que o candidato está fechado, agressivo ou totalmente passivo. “Deve sempre parecer aberto e amigável”, diz Friedman, “o que significa que as suas mãos devem estar visíveis e prontas a gesticular naturalmente”.

Tiques
6 – “Os tiques são comuns em situações de alta pressão”, explica Eventoff. “É só energia nervosa e um desejo natural de dar o seu melhor”. Estes gestos não são propriamente um problema, pelo menos a maior parte das vezes. Pequenos tiques – como brincar com o cabelo, mexer nas unhas ou na pulseira e anel – só se tornam problemáticos quando começam a distrair o entrevistador.

7 – Conselho prático para evitar tiques: “Eu digo sempre às pessoas para evitarem anéis, relógios e joalharia, exatamente por esta razão. Se não estiver lá, não vai brincar com ele. Se não brincar com ele, não há hipóteses de distrair o seu entrevistador, que vai manter a sua atenção focada onde deve estar: na sua conversa”, aconselha Eventoff.

Gestos faciais
“Posso dizer com certeza que a linguagem corporal que pode ser mais prejudicial numa entrevista são os gestos faciais”, adianta Eventoff. Desde virar os olhos, olhar fixamente ou pestanejar muito. O segredo de uma entrevista de sucesso está nos olhos.

8 –  Evitar olhares fixos. Não olhe fixamente”, diz Augustine dos TheLadders. “É importante parecer confiante e olhar para o entrevistador nos olhos, mas ficar a mirar de forma fixada durante um longo período de tempo pode ser interpretado como agressivo, para não mencionar um pouco bizarro”.

9 – Olhos nos olhos somente durante algum tempo. “O contato visual quebra-se quando se sente que ocorreu uma ligação”, afirma Augustine. A próxima vez que sentir “um clique”, mantenha o contato visual por mais um pouco e depois afaste. “Faça isto especialmente quando cumprimenta alguém, com um aperto de mão, ou conhece alguém pela primeira vez”, afirma Augustine. Desta forma, mostra qual o nível certo de compromisso.

10 – Evitar contato visual. Esta táctica é errada. Olhares esguios e assustadiços demonstram que o candidato é uma pessoa em quem não se pode confiar. Os peritos são unânimes em considerar que responder a uma questão olhando para um quadro na parede ou para o chão é o primeiro passo para não ser escolhido. “Acabou de dar ao seu entrevistador uma razão para não gostar de ti”, defende Eventoff. “Se o seu entrevistador parece estar distraído durante o encontro, isto pode parecer uma falta de educação, mas tem desculpa. Mas se você aparecer distraído ou desligado, esqueça o resto”.

Dica: Para enfrentar uma entrevista, deve sempre estudar a empresa para a qual irá concorrer e o seu setor. Além disso, deve pautar sempre pela moderação, tanto na postura, como no gesticular e no contato visual.

Os peritos também consideram que o primeiro passo para resolver as suas falhas é aceitá-las. A maior parte das pessoas não sabe quais são os seus defeitos. Como os amigos ou a família estão sempre relutantes em apontá-los (ou não), o ideal é seguir o conselho de Eventoff: Gravar em vídeo, ou com o celular, uma entrevista sua para saber como é que se comporta.  Peça a um amigo para se passar por um entrevistador e para fazer muitas e variadas perguntas, mas de uma forma séria. Veja a gravação e comece a corrigir os seus erros a partir daí.

Fonte: Dinheiro Vivo

Deixe um comentário